10 de agosto de 2018

Vítima de mim mesma


As pessoas discutem sobre isso, mas o fato é que elas não sabem de nada.
Também discutiram sobre nós e o nosso destino como se uma decisão como essa, de proporcões radiotivas, fosse tão simples como escolher uma roupa.

Posso comparar a decisão sobre o aborto com a guerra entre o Japão e os Estados Unidos. Em geral, governantes que discutem como destruir um país enviam soldados à guerra mas continuam em suas salas confortáveis.
1° de Julho de 1945, a primeira bomba atômica do mundo foi testada. Em 6 e 9 de agosto, a nova bomba foi lançada sobre Hiroshima e Nagasaki. O governo americano, o mesmo que prometeu destruir completamente o Japão, ocultou fotos e filmes que mostravam os resultados do bombardeio.
Ninguém quer ver os destroços, ninguém quer ficar com os cacos. A sua concepção de dor muda quando é você que a sente.

Este não é um texto sobre políticas e guerras, embora a política impacte diretamente nossas decisões, mas é sobre os destroços. Não importa quem decidiu sobre lançar a bomba, importam as milhares de  pessoas queimadas.
 O aborto como uma bomba atômica pode transformar sonhos em cinzas. Depois do calor da bomba, veio o deslocamento de ar, varrendo tudo ao redor com a força de um furacão soprando a mais de 800km/h.  

Entregue à ignorância de não querer entender o que eu estava fazendo
só nós dois sabemos exatamente o que isso significa agora
e a dor que literalmente me machucou, tirou sua vida

Me perdoe meu bebê, eu sinceramente não queria te machucar!

Eu sei o quanto você lutou quando foi atingido.

Meu amor por você será completamente direcionado à vítimas de si mesmos que, como eu, renderam bebês! Te amo inexplicavelmente e vejo a esperança renascer de novo....





29 de abril de 2018

À partir do nada


Não foi sem razão que conseguimos sobreviver à tempestade
Não, não foi para viver na amargura
à margem, na periferia da felicidade, à espreita da oportunidade
ou prisioneiro da possibilidade

num vale de sombras e de morte.

Quem seria capaz de criar algo à partir do nada?
O Eu Sou!

Sobrevivemos para agora sorrir
para ter o coração aquecido
para ter de volta o brilho.

E ser então protagonistas de um novo palco

de sorrisos descongelados
de sentenças revogadas
de sonhos sendo gerados
de frutos sendo colhidos!

E tudo isso, à partir do nada.







18 de março de 2018

Vida é espera, Tempo é sequela



Espera-se para pegar o ônibus
Dentro do ônibus, espera-se pelo lugar de destino
Quando se chega ao destino, espera-se pela hora de voltar
E quando chega a hora
novamente espera-se partir para outro lugar.

Espera-se para dizer algo bonito
e enquanto se diz, espera-se por uma resposta
na resposta, espera-se que ela traga a esperança
e de novo ouvir algo bonito.

Espera-se para receber o abraço
no abraço, espera-se para olhar nos olhos
e no olhar, espera-se pelo sorriso 
no sorrisso, espera-se que o tempo páre
para de novo trazer um aviso:

quem espera que o Tempo espere entenda que ele não vai querer por nada viver a espera!

13 de janeiro de 2018

Uma carta na noite


No meio da noite, ela o viu deixar uma carta em seu portão
Correu para vê-lo, mas ele já estava longe.

Mas ela não pôde ler a carta O que será que dizia?
Algo promissor? E porque seria?

Ela não pôde ler a carta porque havia sido só um sonho


Quem revelaria o que naquela carta estava escrito?

18 de novembro de 2017

Loja de Máscaras


A face nua de uma personalidade alterada pedia uma recomposição imediata. 
E foi depressa para uma loja de máscaras. Não, não era para um baile à fantasia que ela estava à procura de uma máscara, era para uma vida inteira de fantasia.
E à medida em que a foi usando, colou-se à sua própria pele e já não se distinguia mais a fantasia da realidade.

E assim ficou, por dentro escondendo a fera e por fora artificialmente bela.

Naquele falso conto de fadas não cabia espaço para um final feliz, se O Príncipe, montado num jumentinho, não tivesse aparecido e parado para ouvir suas estórias, que ELE bem sabia não serem verdadeiras. Mesmo assim, as ouviu, uma a uma e à medida em que ouvia, reconhecia a verdadeira face dela.

9 de junho de 2017

Quando o brilho se apaga



Quando tudo se acaba, o que você faz?

Depois de um forte estrondo para que lado corre?
Há estilhaços no chão, pedaços de coisas, fumaça ofuscando a visão
Paisagem modificada;
E quando tudo realmente acaba?
Como ver beleza na destruição?
Uma perda pode ser violenta às vezes.
Muitas perdas podem impedir a vida de florescer
Uma flor pisoteada muitas vezes, por fim murcha e não se ergue mais.

O que é capaz de suavizar a dor?

Depois que se vai o brilho nos olhos, o que é que você faz?


Paz para a Síria. 

Um lugar para a dor


Eu queria poder fazer mais por você
eu queria  diminuir sua dor

Eu ainda verei a sua cura
eu ainda verei o dia em que o Mestre chegará nesse quarto frio e escuro
e Sua luz refletirá tão forte que colocará seus medos prá fora
e eles fugirão
os fantasmas do passado fugirão!

Não há como explicar o que você viveu
ou reparar toda injustiça
Um coração capaz de reservar tanto espaço para o vazio.

Sofrendo de longe, calado
o silêncio aprisionou sua liberdade!

Mas agora você está livre, grite sua felicidade
Muito em breve você vai sorrir, meu irmão!